Jubileu de Ouro das Irmãs Laurência, Martha e Maris Stella

Publicado em 26/04/2014 às 21h59

Na quarta-feira, dia 16 de abril, celebramos na Casa Maria Teresa em Salvador o Jubileu de Ouro de Vida Consagrada das Irmãs Martha Frei, Maris Stella Rigo e Laurência Merz. A missa em ação de graças foi presidida por Dom Gilson Andrade da Silva, Bispo Auxiliar, e concelebrada com Dom Marco Eugênio Galrão Leite de Almeida, Bispo Auxiliar e responsável pela Vida Consagrada na Arquidiocese, e Pe. Jair Arlêgo Carvalho Junior. Participaram muitas irmãs nossas e algumas irmãs amigas da vizinhança e três seminaristas. Ir. Madalena deu as boas vindas e nos motivou para entrar nesta festa com júbilo e gratidão.

No almoço gostoso partilhamos muitas experiências, a amizade se confirmou e depois voltamos para as nossas casas.

Ir. Martha celebrará o Jubileu no dia 17 de maio na Casa Mãe e Ir. Maris Stella no dia 15 de junho em Arco (Trento), Província de origem dela.                                                                                       

 Ir. Laurência fica aqui em Salvador por motivo de saúde e partilha conosco a experiência dela:

 

Jubileu de Ouro    16-04-2014

Um Jubileu de Ouro de Vida Consagrada é motivo de celebrar juntos e juntas o nosso Deus que por sua bondade e ternura aceitou 50 anos atrás o SIM de uma jovem e caminhou junto com ela ao longo desses anos todos. Um Jubileu de Ouro é motivo também de olhar para traz e perceber a fidelidade de Deus que se fez homem no meio dos pobres, caminhando e fazendo o bem. O olhar para frente é iluminado pela esperança e fidelidade amorosa.

Nasci em Einsiedeln, na Suiça, num dia alegre de Carnaval. Recebi na minha família muitos dons e sobretudo o gosto de ajudar aos mais necessitados. Todo ambiente religioso e cultural do Mosteiro Milenar dos Beneditinos de Einsiedeln, Santuário Nacional de Nossa Senhora Negra, me marcou por uma vida toda. Lá percebi como Deus me atraiu através do testemunho das Irmãs de Caridade da Santa Cruz que assumiram os trabalhos e serviços nas casas municipais dos Órfãos, dos Pobres e indigentes e dos doentes. Naquele tempo cresceu em mim, no silêncio do coração e na oração, o desejo de me tornar uma delas. Após uns anos de estudo e trabalho para ganhar o pão do dia a dia entrei no Convento. Lá seguia o tempo de formação religiosa e no dia 16-04-1964 podia dar o meu SIM no Instituto das Irmãs de Caridade da Santa Cruz, na Casa Mãe, em Ingenbohl/Suiça. Nos anos depois da formação profissional lecionei oito anos no nosso Colégio, isso até receber o Sim para a missão no Brasil. Parti e cheguei aqui no dia 11 de maio de 1976.

Olhando hoje o tempo que passou, posso cantar aquele canto antigo: “... desfilam rostos, desfilam prantos...” e quero acrescentar: desfilam alegrias, dias felizes e gratificantes, cheios de experiências de Deus. Aquele SIM, dado “em branco”, se tornou pela graça de Deus uma única experiência de Deus. Ao longo desses 50 anos ELE se revelou para mim no meio dos pobres como aquele Apaixonado, do qual fala o Cântico dos Cânticos. Ele “gravou o seu selo no meu coração e as águas da torrente jamais poderão apagar o amor” (Ct 8,6-7).

E se um dia me falarão, como perguntaram a Dom Pedro Casaldaliga:

“E tu viveste? amaste? 

E eu, na gratidão pelos 50 anos de Vida Consagrada como Irmã de Caridade da Santa Cruz, faria como ele:  sem dizer nada, “abrirei o coração, cheio de nomes!”

Ir. Laurencia Merz

 

 

 

Enviar comentário

voltar para Informativo

left show bds b02s fsN normalcase tsY fwB|show tsN left fwB|left show fwB|b04 bsd|||news login c10 fwB fsN|normalcase uppercase fwB c10|c10 fwB|login news normalcase uppercase fwB c10|tsN normalcase uppercase c10 fwB|normalcase uppercase c10|content-inner||