História

Introdução:

BandeiraA fundação do nosso Instituto das Irmãs de Caridade da Santa Cruz aconteceu num tempo de radicais mudanças sociais e políticas. Nos países industrializados da Europa dominava grande miséria social. Frei Teodósio, OFM Cap, se sentia impulsionado a dar uma resposta a situação de miséria de seu tempo. Por isso, fundou em Altdorf, Suíça, o Instituto das Irmãs do Ensino, desdobrando-se mais tarde em mais uma fundação: as Irmãs de Caridade da Santa Cruz. As primeiras três candidatas iniciaram um colégio para jovens em Menzingen. Em 1845, Ana Maria Catarina Scherer, de Meggen, se juntou ao grupo. A pequena comunidade cresceu e podiam ser assumidas numerosas escolas populares. Naquele tempo o Estado não se preocupava com  doentes, idosos e pobres. Em 1850, Frei Teodósio fundou, em Coira, o seu primeiro hospital e colocou ali como diretora Irmã MariaTeresa Scherer. Ao lado do hospital fez iniciar o noviciado, tornando-se assim o Convento, Casa Mãe das Irmãs de Caridade da Santa Cruz. 

 

 A fundação

Nosso Instituto nasceu num tempo de radicais mudanças. Principalmente no campo social e político e parece uma história de aventuras. Uma grande miséria social dominava nos países da Europa durante o processo de industrialização.

Frei Teodósio Florentini, OFM, Cap, um jovem capuchinho, nascido nas montanhas da Suíça, se sentiu impulsionado a empreender tudo para aliviar esta situação de miséria com métodos extraordinários. A educação e a assistência social aos pobres eram para ele a urgência primária.

Frei Teodósio, mesmo sendo um homem de paz e de profunda fé na sua busca vital por uma melhora social, religiosa e, necessariamente, também política desagradou o Governo, que decretou um mandado de prisão contra ele, mas ele conseguiu fugir para Alsácia. Lá, as suas ideias de reforma social ganharam forma ainda mais concreta e, voltando para a Suíça fundou o Instituto das Irmãs do Ensino. Com seus novos métodos na educação, este Capuchinho entrou para a história da pedagogia europeia. Ele mesmo formou suas primeiras Irmãs professoras: “Preciso de Irmãs que entendam a cruz. Com elas consigo tudo.”

Irmã Maria Teresa Scherer, em março de 1845, juntou-se ao grupo. A pequena comunidade religiosa cresceu rapidamente, de forma que, em curto tempo podiam ser assumidas numerosas escolas populares.

Frei Teodósio enfrentou a enorme miséria do povo, iniciando indústrias caseiras para melhorar a situação das famílias.

Naquele tempo o Estado não se preocupava com idosos, doentes e pobres. Em 1850, fundou em Coira, junto com Irmã Maria Teresa Scherer seu primeiro hospital.

casa mãeEm 1855, Frei Teodósio viu a necessidade de uma Casa Mãe e adquiriu uma casa de campo, em Ingenbohl, na Suíça Central. Com confiança em Deus e muito vigor, as Irmãs se mudaram para o novo lar. Tratava-se, de fato, de uma casa desabitada, onde faltava de tudo.

“A necessidade do tempo é a vontade do tempo” disse ele. Convencido de que era preciso cristianizar as fábricas, chegou a comprar uma indústria de tecelagem e outra de celulose. Era precioso criar novas fontes de trabalho, cuidar da formação integral dos funcionários, repartir o lucro entre os trabalhadores e lutar contra a exploração das crianças nas usinas.

Mas acompanhá-lo passo a passo foi um desafio para as Irmãs. Nem todas estavam dispostas. Em 1856, as Irmãs do Ensino de Menzingen e as Irmãs de Caridade da Santa Cruz, de Ingenbohl, foram, por decisão episcopal, separadas em dois Institutos autônomos. Irmã Maria Teresa Scherer foi nomeada, em outubro de 1857, a primeira Madre Geral das Irmãs de Caridade da Santa Cruz.

O dia 15 de fevereiro de 1865 foi um dia de pesadelo e grande aflição. No meio das inúmeras atividades sociais o incansável Frei Teodósio foi alcançado pela morte. Madre Maria Teresa era relativamente jovem, mas decidiu assumir a herança do Fundador, sabendo perfeitamente que estava assumindo um gigantesco monte de dívidas, devido ao fracasso financeiro das fábricas. Mas incentivava cada uma das Irmãs: “Não desanimar, mas sim olhar para Aquele de quem nos vem a força”.

arvore fundadorFrei Teodósio na sua visão ampla estava cem anos à frente de seu tempo. Ele era conhecido na Europa toda como reformador social. Apesar de todas essas atividades, como São Francisco de Assis, Frei Teodósio era um homem de oração: “A oração, isto é, o trato com Deus, é tão necessário ao homem quanto a respiração, quanto a união da planta à terra, quanto a união do ramo ao tronco”.

Para Madre Maria Teresa era um enorme desafio acompanhar os passos do Fundador.  Mas ela percebeu em tudo o agir de Deus e a fé era sua força. Com a ajuda de suas Irmãs, pouco a pouco a dívida foi paga. Madre Maria Teresa impressionava pela clareza em seu julgamento, pelo desprendimento e pelo forte senso de justiça e humor. Ela possuía qualidades de liderança que faziam surgir confiança e autoestima nas pessoas. Ela nunca fugia do contato com a realidade e seu amor autêntico por cada pessoa ultrapassava os muros do convento.

No ano de sua morte, 1888, a lista das Irmãs registrava um número de 1596 Irmãs, trabalhando na Suíça e nas Províncias da Boêmia, Áustria, Croácia, Estíria e Tchéquia. No dia 29/11/1995, Madre Maria Teresa foi beatificada, pelo Papa João Paulo II. 

left show bds b02s fsN normalcase tsY fwB|show tsN left fwB|left show fwB|b04 bsd|||news login c10 fwB fsN|normalcase uppercase fwB c10|c10 fwB|login news normalcase uppercase fwB c10|tsN normalcase uppercase c10 fwB|normalcase uppercase c10|content-inner||